"Como torrente de esperança" - prefácio de Nuno Oliveira

“A missão como encontro de culturas. Libermann1 recomendava aos seus missionários que se “despojassem da Europa, dos seus costumes, do seu espírito, que se fizessem negros com os negros, para os formar não à maneira da Europa, mas segundo a sua própria identidade cultural” (Carta à comunidade de Dakar e do Gabão, de 19/11/1847). Este diálogo cultural manifestar-se-á sobretudo através do estudo da linguística local, da antropologia e da etnologia, da botânica e da história natural, em que os missionários foram verdadeiramente pioneiros.”2


Os Missionários do Espírito Santo, os Espiritanos, congregação fundada em 1703, tal como outras ordens religiosas, para além de “irem, e ensinarem”, foram e também aprenderam; é aos missionários que devemos as primeiras obras sobre a história natural da África, das Américas e da Ásia.


A citação do Padre Libermann, que acima transcrevemos, escrita há mais de 150 anos revela, ainda hoje, um modernismo intelectual que muitos ainda não atingiram: o respeito pelas diferenças culturais dos povos do Mundo.


Assim, ter um ilustre missionário, o Rev. Padre José de Araújo, entre os filhos de Avintes, é mais uma honra e um motivo de orgulho para esta terra. Não conheci o Padre Araújo, mas esta biografia demonstra as suas notáveis capacidades de empreender, liderar, cativar e organizar, qualidades tão em falta nestes tempos de crise. É pois, este livro, também um bom motivo para reflectir sobre o estado da nossa sociedade.


Por tudo isto, foi com todo o gosto que a Junta de Freguesia de Avintes se associou a esta edição e esta homenagem.

 

 

Nuno Gomes Oliveira

Presidente da Junta de Freguesia de Avintes


 



1 Padre espiritano Francisco Libermann (Saverne – França, 1802-1852)

2 Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa - FAZER-SE AO LARGO, COM A FORÇA DO ESPÍRITO  - Os 300 anos dos Missionários do Espírito Santo

publicado por JFA às 19:56 | link do post | comentar