Abate de árvores no Largo do Palheirinho

No âmbito da operação de requalificação do Largo do Palheirinho optou‐se pelo abate dos Plátanos e Tílias existentes, com o objectivo de os substituir por árvores de espécies mais adaptadas ao local e mais bem formadas; já quanto ao Carvalho que está no centro do Largo, será mantido, visto não apresentar sinais de apodrecimento ou risco de queda, mas será objecto de uma poda de limpeza.

 

O abate, que decorre hoje, permitirá também dar mais espaço e continuidade à nova praça a criar.

 

Os Plátanos e as Tílias são árvores de grande porte, que podem atingir os 25 a 35 metros de altura, um diâmetro de copa de 15 a 20 m e um enorme sistema radicular; ou seja, são árvores de uma espécie com dimensões inadequadas ao espaço aéreo e terrestre disponível no Largo da Palheirinho e só podas severas as continham, mas com todos os inconvenientes, bem visíveis, dessas podas para a saúde e equilíbrio mecânico das árvores.

 

O estado de preservação dos Plátanos e Tílias do Largo do Palheirinho é péssimo, apresentando sinais evidentes de apodrecimento de ramos e troncos, resultado de podas mal feitas ao longo de décadas, que permitiram a entrada de água da chuva no interior das árvores, com a consequente criação de um ambiente húmido, propício ao desenvolvimento de podridões.

 

Ora como o cerne do tronco e ramos das árvores tem uma função de suporte mecânico da estrutura da planta, o seu apodrecimento pode motivar a queda de ramos ou, no limite, da própria árvore, com riscos para a segurança de pessoas e bens.

 

Do ponto de vista ambiental e ecológico, o novo espaço verde terá uma quantidade de árvores equivalente à actual, que continuarão a desempenhar as funções de retenção de partículas atmosféricas, fixação de carbono, produção de oxigénio, libertação de água por transpiração, modelação do clima local, produção de sombra, etc.

 

Optou‐se, assim, por fazer este abate no momento certo, coincidente com a renovação total do espaço, obra que não se repetirá nas próximas décadas.

 

Logo que os trabalhos de construção civil estejam concluídos, começará o ajardinamento do novo espaço verde, com a plantação de novas árvores, de espécies cuidadosamente escolhidas e adaptadas ao espaço disponível.

 

Parque Biológico de Gaia

Câmara Municipal de Gaia

publicado por JFA às 10:27 | link do post | comentar